Suspeitos de agredir e matar professor durante festa em Vassouras confessam o crime

By | October 19, 2015

professor-mauro-costa-juniorFonte: Diário do Vale

Vassouras – O delegado titular da 95ª DP (Vassouras), José Soares dos Santos, ouviu na noite de quinta-feira (15), os dois jovens suspeitos de participarem da agressão que causou a morte do professor de educação física, Mauro Costa Junior, de 23 anos. A vítima foi espancada até a morte na madrugada do último domingo (11), na Rua Broadway (que é repleta de bares), no Centro de Vassouras, onde estava sendo realizada a XXII Olimpíadas Regionais dos Estudantes de Medicina (Orem). O conteúdo do depoimento não foi totalmente revelado, mas a polícia informou que os suspeitos teriam confessado que espancaram Mauro por causa de um esbarrão.

O inspetor da 95ª DP, Joel Oliveira, contou ao DIÁRIO DO VALE que os jovens, que não tiveram os nomes divulgados, são moradores de Vassouras, de uma localidade conhecida como Morro da Vaca, e que não ficaram presos por não ter tido flagrante. A dupla foi identificada por câmeras de segurança de um local próximo onde Mauro foi agredido e reconhecida por testemunhas através de fotos de redes sociais.

O policial afirmou que os jovens foram indiciados por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilitado a vítima de se defender.

O depoimento dos suspeitos confirma a versão contada à imprensa pelo primo do professor, Matheus Medeiros. Mauro estava com ele e mais alguns amigos, saindo da Rua Broadway, quando esbarrou num grupo de pessoas, pediu desculpas, mas mesmo assim foi agredido.

– As investigações estão em andamento. As imagens de câmeras de segurança estão sendo analisadas e agentes realizam diligências em busca de informações que possam ajudar no caso – disse Soares, que tenta descobrir pelas imagens se há outros agressores.

Antes do depoimento dos suspeitos, o delegado chegou a levantar a hipótese da agressão ter sido motivada por uma rixa entre moradores das cidades de Barra do Piraí e Vassouras. Anteriormente também o policial já havia descartado a participação de estudantes de medicina no crime.

O DIÁRIO DO VALE conversou nesta sexta-feira (16), com outro primo do professor, que preferiu não se identificar. O rapaz disse que no dia que foi agredido, tinha sido a primeira vez que Mauro participava da festa, e que ele não costumava ir a Vassouras. A vítima morava e trabalhava em Barra do Piraí.

– Tinha muita gente na festa. Por isso, acredito que meu primo esbarrou num dos agressores, e que mesmo tendo pedido desculpa, ele foi espancado até a morte. Mesmo porque Mauro não era de briga. Quando eu fui depor na delegacia de Vassouras me perguntaram o que aconteceu. Não consegui responder porque não estava no local onde ocorreu o fato – disse o jovem, esclarecendo que Mauro não mexeu e nem mesmo estava acompanhado de uma mulher durante o evento.

O jovem pretendia cursar faculdade de Nutrição.

Já o também professor de educação física, Sandro Aredes, disse que Mauro foi seu aluno e que trabalhava como personal trainer em sua academia, que funciona em um clube no Centro de Barra do Piraí.

– Mauro era excelente aluno, filho único e evangélico, além de ser uma pessoa muito educada. Não era de briga. Por isso, também não acredito que ele se envolveria em confusões – disse Sandro.

A missa de sétimo dia da morte do professor está marcada para a próxima segunda-feira, às 18h30, na Matriz de São Benedito, em Barra do Piraí.
Por Dicler de Mello e Souza

 







 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *