Servidora do Degase contrai sarna humana na unidade de internação de Campos

By | December 5, 2015

enfermeira-degase-sarnaNesta quarta feira (02/12), a técnica em enfermagem Mayara Ingridy Botelho Rodrigues de Menezes, que trabalha no Centro de Socioeducação Professora Marlene Henrique Alves, unidade de internação masculina do DEGASE, em Campos dos Goytacazes, deu entrada no Posto de Saúde da Família, no bairro Silvana, em Bom Jesus do Norte, divisa do Espírito Santo com o Estado do Rio de Janeiro. Ela se queixava de coceiras pelo corpo, que já completavam uma semana.

Após o exame médico, a constatação: Ela havia contraído sarna humana, doença comum em presídios e unidades socioeducativas. O médico receitou tratamento tópico durante uma semana. No dia 25/11, um interno da mesma unidade foi diagnosticado com Herpes-Zoster, doença infectocontagiosa e incurável. Até o momento, a informação recebida pelos funcionários da unidade é de que somente os servidores que tiveram contato direto com o interno portador deste tipo de Herpes, serão vacinados. Os demais servidores sequer receberão imunização contra a doença.

Casos como esse são recorrentes entre os servidores que trabalham nas unidades: No começo do mês, Agentes do DEGASE que trabalham no Centro de Recursos Integrados da Baixada, unidade de internação em Belford Roxo, tiveram que socorrer um interno que expelia placas de sangue. Ao realizarem a condução do interno ao PAM de São João de Meriti, dentro de uma kombi velha e junto do adolescente, foi constatado que ele estava com tuberculose. Em Campos, já houveram dois casos confirmados de meningite.

Também existem vários casos confirmados de caxumba e conjuntivite nas unidades do órgão. Servidores já contraíram caxumba, conjuntivite, tuberculose, sarna humana e outras moléstias.

Ao contrário dos profissionais e Agentes que trabalham no sistema penal e na área de saúde, os Agentes do DEGASE e a equipe médica do órgão não recebem adicional de insalubridade nem contam com plano de saúde, o que torna ainda mais difícil o custeio do tratamento para as variadas doenças que contraem dos internos.

 







 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *