Operação da Polícia Federal em Acari deixa cinco suspeitos mortos

By | April 4, 2016

A Polícia Federal realizou operação na manhã desta segunda-feira (4) na Favela de Acari, na Zona Norte do Rio. A ação teve o apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil do Rio. Cinco pessoas, que segundo a Polícia seriam suspeitos, morreram no confronto.

De acordo com a Polícia Federal, a ação tinha como objetivo cumprir o mandado de prisão de um homem de 51 anos condenado pela 2ª Vara Federal Criminal a 8 anos de prisão, por tráfico de drogas. A residência do procurado chegou a ser localizada, mas a prisão não foi efetuada. Foram apreendidos armas — um fuzil, quatro pistolas e uma granada — e drogas.

Por volta das 6h, agentes teriam sido recebidos a tiros e revidaram. Houve tiroteio e os cinco homens foram mortos. Armas foram apreendidas, a perícia foi feita no local e o caso foi encaminhado para a 39ª DP (Pavuna).

Ainda de acordo com a Polícia Federal, a ação teve o apoio da Core porque o local é considerado “perigoso”. De acordo com o delegado da Core Fabricio de Oliveira, a operação foi bem sucedida mesmo não tendo efetuado a prisão do acusado.

Em nota, a Anistia Internacional cobrou investigação imediata “ampla, imparcial e independente”. Um documento da ONG divulgado em agosto de 2015 e publicado pelo G1, denunciava 9 casos de execuções extrajudiciais em 10 mortes investigadas em ações da PM, todas na comunidade da Zona Norte. Naqueles casos, as vítimas não estariam armadas e não teriam trocado tiros com a polícia, segundo a Anistia.

Moradores que estiveram na delegacia nesta segunda (4) afirmaram que houve abusos dos agentes durante a operação e ao menos uma moradora teria sido baleada acidentalmente.

“Não dão satisfação [aos moradores], prenderam meu sobrinho e não sei nem o que aconteceu. Estamos atrás de advogado para dizer o que aconteceu para a família até porque ele é analfabeto e não pode assinar [o termo circunstanciado]. Meu sobrinho está machucado no rosto e dizem que ele caiu. Antes de vir para cá ele não tinha corte nenhum no rosto. Tem morador baleado na perna, só os moradores sabem a covardia que é lá dentro”, afirmou uma auxiliar de serviços gerais moradora da comunidade.

Outra moradora diz que os policiais agiram com truculência e que foi ameaçada. O filho dela, ainda de acordo com seu relato, foi levado para a delegacia suspeito de trocar tiros com os policiais, que não teriam encontrado nenhuma arma com ele.

De acordo com a secretaria municipal de educação, 768 alunos ficaram sem aulas em Acari durante a operação da manhã desta segunda. Ao todo foram uma escola, três creches e um espaço de desenvolvimento infantil. Já segundo a assessoria de imprensa da rede estadual, nenhuma unidade foi afetada.

operacao-acari-pf-2

operacao-acari-pf

 







 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *