Justiça aceita denúncia contra três envolvidos em estupro coletivo no Morro da Barão

By | June 23, 2016

Três dos quatro denunciados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por envolvimento no estupro coletivo cometido contra uma adolescente no Rio tiveram a prisão preventiva decretada nesta quinta-feira (23). São eles Raí de Souza, Raphael Assis Duarte Belo e Moisés Camilo Lucena (traficante conhecido como Canário). Os dois primeiros já se encontram presos.

estupro-coletivo-praca-seca

A decisão foi tomada pela 2ª Vara Criminal Regional de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, que arquivou o inquérito em relação a Lucas Perdomo Duarte Santos, que chegou a ser preso como suspeito no caso. Além disso, foi rejeitada a denúncia contra Sérgio Luiz da Silva Júnior, conhecido como “Da Russa”, que chegou a ter decretada a prisão temporária.

Os três réus que tiveram a prisão preventiva decretada responderão pelo crime de estupro de vulnerável. Raí e Raphael responderão também por registrarem imagens pornográficas da vítima. Raí também responderá pela divulgação das imagens.

Na mesma decisão, a pedido do MPRJ, foi arquivado o inquérito em relação a Lucas Perdomo Duarte Santos e também rejeitada a denúncia referente a Sérgio Luiz da Silva Júnior, conhecido como “Da Russa”, tendo em vista a inexistência de indícios de sua participação nos crimes, sendo revogada a sua prisão temporária.

Outros dois indiciados pela Polícia Civil por envolvimento na divulgação das imagens da garota tiveram os processos desmembrados do processo principal. Marcelo Miranda e Michel Brasil da Silva foram indiciados pela divulgação das imagens em redes sociais, mas não foram denunciados pelo Ministério Público do Rio. O órgão entendeu que a competência do caso é da Justiça Federal, já que o Twitter, onde o vídeo foi divulgado, tem amplitude internacional, como critério estabelecido pelo Supremo Tribunal Federal.







Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *