Interno do Degase engole trouxinhas de maconha para entrar em unidade de semiliberdade

By | September 29, 2015

maconha-criaad-sao-goncaloRio – Por volta das 09h da manhã desta segunda feira (28), Agentes de plantão que trabalham no Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente (CRIAAD), situado no bairro Estrela do Norte, em São Gonçalo, tiveram que lidar com duas ocorrências policiais:

Ao retornar do final de semana que passam com as suas famílias, os jovens são minuciosamente revistados pelos agentes assim que chegam à unidade, a fim de evitar a entrada materiais ilícitos. Entre eles, estavam Matheus Henrique dos Santos Mendes, de 18 anos, além do adolescente I.R.P, de 17. Após o procedimento de revista, onde nada foi encontrado com os dois jovens, que convivem no mesmo alojamento dentro da unidade de semiliberdade, a entrada dos internos foi autorizada.

Cerca de vinte minutos depois, dois agentes da unidade escutaram um barulho vindo do alojamento dos jovens e foi verificar. Ao chegar no espaço, se depararam com Matheus, que é maior de idade, vomitando no chão do banheiro, enquanto o adolescente de 17 anos vigiava pelo vão da porta do toalete.

Ao ingressar no local para auxiliar o jovem, os agentes viram, no meio do vômito, material suspeito, que depois foi confirmado como sendo sete trouxinhas de maconha.

Conduzidos à 73º DP (Neves), para prestar declarações, o infrator maior de idade declarou que o adolescente menor repassou a droga para ele, ainda na fila para a revista pessoal, afirmando que trouxe a droga mas não conseguiria engolir, tendo então sido engolida por Matheus. O menor de idade confirmou a versão apresentada pelo outro infrator.

Matheus foi autuado por tráfico de drogas, ficando acautelado na própria Delegacia Policial, de onde será remetido posteriormente para o Complexo Penitenciário de Bangu, onde ficará preso, aguardando decisão criminal da justiça.

O menor I.R.P. foi conduzido à outra unidade do Degase, onde responderá por ato infracional análogo ao crime de tráfico de entorpecentes, dessa vez praticado durante o cumprimento de medida socioeducativa.

 







 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *