Delegacia de Homicídios não tem dúvidas que morte de miliciano da Curicica foi execução

By | May 17, 2016

geraldinho-da-curicicaFonte: G1

A polícia diz que não há dúvidas de que o assassinato do sargento da reserva Geraldo Antônio Pereira, no estacionamento de uma academia no Recreio, Zona Oeste do Rio, nesta terça-feira (17), foi uma execução. De acordo com o delegado Fábio Carodoso, a Divisão de Homicídios (DH) investiga um homicídio qualificado e três tentativas de homicídios, já que outros três homens ficaram feridos no tiroteio.

“Pela perícia que foi feita, a gente já pode afirmar que foi uma execução, e o alvo foi essa vitima conhecida como Pereira. E as outras vítimas que sobreviveram foram efeitos colaterais desse crime”, declarou Cardoso, que foi acompanhar a perícia no entorno da academia The Place, dentro do clube Novo Rio Country.

Segundo a DH, uma das linhas de investigação é o envolvimento com a máfia de caça-níqueis. Outras hipóteses, no entanto, não foram descartadas. De acordo com o delegado, a polícia já tem informações sobre o perfil de todas as vitimas.

“Pelo menos três pessoas ingressaram aqui no clube. Eles esperaram o Pereira chegar. O Pereira vinha todos os dias pela manhã nessa academia e, quando o Pereira chegou, passando em frente a essa academia, efetuaram vários disparos”, explicou o delegado.

Segundo testemunhas, o sargento Pereira seria um dos donos da academia. De acordo com informações da PM, homens de preto e encapuzados que estavam em um carro branco teriam efetuado disparos de fuzil contra os quatro homens.

Entre os outros baleados está o ex-policial civil Hélio Machado da Conceição, conhecido como Helinho, que era homem de confiança do ex-chefe da Polícia Civil, Álvaro Lins. Além dele, foram baleados Aurelio Gomes Ferreira e José Roberto Pontes Pereira, sem gravidade.







Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *